Buscar
  • Ipê Amarelo Ateliê

Ampliando nossas compreensões sobre a raiva


Não pode ter raiva do vovô...

Não fica com raiva, não, é ruim...


Quem nunca ouviu ou pensou algo parecido? Mas como fazer quando já estamos sentindo essa emoção? Ou ainda, quando ela já nós tomou?


A raiva é uma emoção natural e absolutamente humana. Pode chegar de fininho e ir espalhando, ou chegar com força total. Mas, ela é passageira: chega e depois vai 🐝


Ela surge quando nos sentimentos ameaçados, quando algo coloca nosso bem-estar/conforto em risco ou estamos nos deparando com alguma injustiça.


A raiva sinaliza que estamos diante de uma situação de agressão e, muitas vezes, ela nos dá a energia necessária para agir. Nesse sentido, ela é natural, necessária e, pode ainda, ser funcional.


Porém, ela quando estamos no calor da emoção, ela pode comprometer a capacidade de reflexão e as vezes, pode levar a uma reação desproporcional, o que pode ser perigoso para nós e para o outro.


E ATENÇÃO! A violência física e psicológica NUNCA é deve ser considerada uma reação justificável por qualquer emoção.


Nesse sentido, a raiva é natural e humana como sinalizadora de que há algo nos afetando e fazendo mal. Mas sempre haverá alternativas construtivas para gerenciar a a emoção e as situações em si.


É importante investigar e esclarecer sobre o que está ocasionando a raiva e seus possíveis gatilhos.


✨Podemos usar a raiva para nos ajudar a entender necessidades que não foram atendidas, o que geralmente está na base da situação. E com isso, conseguimos acolher esse sentido e agir de forma construtiva e efetiva nas situação. ✨


#raiva#psicologia#sentimentos