Buscar
  • Ipê Amarelo Ateliê

Análise Simbólica: Sete minutos depois da meia noite


O filme 7 minutos após a meia noite, dirigido por Juan Antonio Bayona em 2017 recebeu diversos prêmios. Retrata a história do garoto Conor, de 12 anos durante o período de adoecimento da mãe. O filme mostra o processo de elaboração do luto do personagem principal diante do processo de adoecimento e iminência da morte da mãe. No decorrer do filme, o Conor tem sonhos recorrentes com mãe prestes a ser devorada pela terra. Nessa sequencia dos sonhos, tem um personagem animada em formato de árvore que poderia ser interpretada como um analista que aparece como facilitadora da jornada de elaboração das vivências do garoto. A árvore analista utiliza-se de histórias como recurso lúdico para favorecer a compreensão e acesso aos seus próprios conteúdos inconscientes. Dentre esses conteúdos, encontra-se o seu próprio processo de cura, bem como seus recursos de enfrentamento, que o tiram de uma dinâmica mais passiva para o contato com a própria agressividade e a sua expressão, utilizada a favor do personagem nessa trajetória. A medida em que o filme avança, Conor se vê mais fortalecido, mostra que precisa menos dos seus recursos de defesa, conseguindo se dar conta do seu estado de negação, de que tem tentando se voltar contra suas emoções e negar toda a raiva que sente. Ilustrando esse estado de negação e ilusão, a frase: "Vocês creem em mentiras confortáveis, embora saibam a verdade dolorosa", tem o intuito de esclarecer essa dinâmica para o personagem. Portando, apesar de Conor achar que a árvore se manifestou em prol da cura da mãe, ela se mostra como um potencial interno de cura e desenvolvimento do jovem. Diante da raiva e culpa que o personagem sente de toda a circunstância e inclusive do estado de adoecimento da própria mãe, observa-se que ele desenvolve uma lógica autopunitiva e a medida que o processo evolui sua agressividade é direcionada para o externo. A canalização da agressividade, junto aos demais recursos, contribui com um enfrentamento mais adaptativo da situação. Tanto os sonhos, bem como a narrativa das histórias compartilhadas com Conor, possuem uma temática que permeia o desenvolvimento coletivo, por exemplo, com figuras antagônicas de bem e mal. Os sonhos, recursos expressivos e as histórias aparecem como ferramentas que contribuem com o processo de elaboração e consequentemente de amadurecimento do personagem. Assim como, são ferramentas utilizadas no processo de análise e ampliação de consciência que a vida disponibiliza em prol do nosso desenvolvimento. Os filmes trazem possibilidades de diálogos com a realidade. Também entendemos que essas interpretações são subjetivas, havendo grande número de possibilidades. Com isso, estamos interessadas em saber como vocês percebem esses elementos. Já assistiu esse filme? Comenta aí o que você achou.